Não categorizado

PREVENÇÃO DO CÂNCER.

PREVENÇÃO DO CÂNCER
11 DE MAIO DE 2012 DR. PEDRO PINHEIRO NENHUM COMENTÁRIO
O câncer é responsável anualmente por cerca de 8 milhões de mortes em todo mundo. Este número se torna ainda mais chocante se levarmos em conta que até 50% dos cânceres podem ser prevenidos.

Pelo menos um terço das mortes por câncer são provocados por fatores que podem ser controlados, como:
Tabagismo.
Exposição solar excessiva.
Excesso de peso.
Sedentarismo.
Sexo sem proteção.
Poluição do ar urbano.
Exposição a combustão de combustíveis sólidos, principalmente madeira e carvão.
Consumo excessivo de álcool.
Dieta rica em carnes vermelhas e gorduras.
Muitos casos de câncer têm origem genética ou são causados por infecções que não podemos controlar. Há ainda vários tipos de cânceres cuja causa é desconhecida. Todavia, já existe conhecimento científico suficiente para se evitar os milhões de cânceres que são provocados por fatores conhecidos e facilmente evitáveis. Neste texto daremos 5 dicais simples que ajudam na prevenção do câncer.

Neste texto deixaremos de fora a relação entre a alimentação e o câncer, que foi abordada especificamente neste artigo: ALIMENTOS E CÂNCER.

Este texto faz parte da nossa série sobre câncer, que também aborda os seguintes assuntos:
– O QUE É O CÂNCER?
– 14 SINTOMAS DE CÂNCER | Parte 1
– 14 SINTOMAS DE CÂNCER | Parte 2
COMO SE PREVENIR DO CÂNCER?

1. Evite fumar

Maus hábitos de vida relacionados ao câncer.
O cigarro é a causa mais evitável de câncer, sendo responsável por 20 a 30% das mortes por câncer em todo o mundo. O fumo aumenta o risco de câncer de pulmão em até 30 vezes (leia: CÂNCER DE PULMÃO | Cigarro e outros fatores de risco). Como se isso não bastasse, o cigarro está associado a vários outros tumores malignos, como leucemia, cânceres da cavidade oral, cavidade nasal, seios paranasais, nasofaringe, laringe, esôfago, pâncreas, fígado, estômago, colo do útero, rim, intestino grosso e bexiga.

Um simples cigarro contém mais de 4000 substâncias químicas, pelo menos 400 delas tóxicas e 50 reconhecidamente carcinogênicas (que podem provocar câncer).

O cigarro é uma substância tão maléfica que tornou o câncer de pulmão, que era raro no início do século XX, em uma das principais causas de morte do mundo moderno. Felizmente, as campanhas antitabagistas dos últimos anos têm sido eficazes na redução do número de fumantes, o que, pela primeira vez em décadas, tem causado uma queda nos casos de câncer de pulmão.

Os perigos do fumo são mais comumente associados ao cigarro, mas também podem ocorrer com o charuto, cachimbo, cigarrilha e a maconha (leia: MACONHA | Efeitos no organismo). O fumo passivo também está associado a uma maior incidência de cânceres.

Quando o assunto é risco de câncer, não existe “cigarro light” ou “cigarro menos nocivo”. Todos provocam câncer. Do mesmo modo, não existe uma quantidade segura de fumo. Obviamente, quanto maior o consumo de cigarro maior é a exposição a químicos nocivos e cancerígenos. Porém, mesmo o fumo de 2 ou 3 cigarros apenas nos fins de semana já é suficiente para aumentar o risco do surgimento de cânceres. É ilusão achar que aquele sujeito que só fuma quando sai à noite para beber não correr riscos.

Não fumar é atualmente a principal medida para a prevenção do câncer. Mesmos os indivíduos que fumaram durante muitos anos se beneficiam da interrupção do tabagismo.

Para mais informações sobre os malefícios do cigarro, leia: DOENÇAS DO CIGARRO | Como parar de fumar.

2. Evite exposição solar em excesso

O câncer de pele é o tumor maligno mais comum na espécie humana. Mais de 1 milhão de novos caso surgem anualmente em todo mundo. No Brasil, o câncer de pele representa cerca de 25% de todos os cânceres.

Existem basicamente três tipos de câncer de pele:

1. Carcinoma Basocelular (CBC)
2. Carcinoma Espinocelular (CEC)
3. Melanoma

A radiação ultravioleta (principalmente os raios UVB) originada do sol é a principal responsável pelo desenvolvimento do câncer de pele. Além dos raios solares, esta radiação também é encontrada nas cabines de bronzeamento artificial.

O risco de câncer de pele é diretamente proporcional à quantidade de radiação solar que o individuo recebeu durante sua vida. O carcinoma basocelular e o carcinoma espinocelular estão associados à exposição solar frequente. O seu aparecimento é resultado do efeito cumulativo dos raios ultravioletas na pele. Eles surgem em pessoas que pegam sol frequentemente, durante anos seguidos. Já o melanoma, que é o câncer de pele mais agressivo, está relacionado a exposições pontuais, porém intensas, ao sol. O melanoma surge naquelas pessoas de pele mais clara que de tempos em tempos se expõem demasiadamente ao sol, ficando com a pele muito ardida e avermelhada (leia: MELANOMA | Câncer de pele).

Todos os indivíduos devem limitar o tempo exposto ao sol, especialmente entre os períodos de 10 horas a 16 horas. Sempre use filtro solar com fator de proteção maior que 30 (FPS 30) se tiver a pele morena ou acima de 50 (FPS 50) se tiver uma pele mais clara (leia: PROTETOR SOLAR | Como se proteger do sol). Mesmo com protetor, não se exponha por muito tempo ao sol e use chapéus, óculos de sol e proteja-se com guarda-sol.

O comportamento de risco para o câncer de pele inicia-se na infância e, como o risco é cumulativo, é importante educar os filhos desde cedo quanto aos risco do excesso de sol.

Evite bronzeamentos artificias, pois eles são tão ou mais perigosos que a exposição solar prolongada.

3. Evite o excesso de peso

O excesso de peso e a obesidade estão associados a um aumento do risco de vários tipos de câncer, incluindo mama, cólon, útero, rins, esôfago, pâncreas, tireoide, linfoma, leucemia, mieloma e próstata. A obesidade tem sido estimada como a principal causa de 1 a cada 5 novos casos de câncer detectados.

Não só a obesidade, mas o ganho de peso também está associado com o risco de câncer. Homens que ganharam mais de 20 kg após os 20 anos de idade apresentam um risco 60% maior de câncer colorretal do que os homens que ganharam menos que 5kg no mesmo período.

O período da vida que ocorre o ganho de peso também pode afetar o risco de câncer. Estar acima do peso durante a infância, adolescência e início da vida adulta traz mais riscos do que desenvolver sobrepeso tardiamente.

Pacientes obesos que conseguem emagrecer reduzem o risco de desenvolver vários tipos de câncer, entre eles próstata, ovário, cólon e mama. Pacientes com obesidade mórbida que se submetem a cirurgia de redução do estomago, conseguem reduzir em até 60% o risco de câncer (leia: OBESIDADE | Definições e consequências).

4. Pratique exercícios físicos

O sedentarismo é um dos principiais fatores de risco para o excesso de peso, sendo assim, também um importante fator de risco para o surgimento de cânceres. Porém, há índicos de que o sedentarismo por si só também seja responsável por alguns tipos de cânceres, mesmo em pacientes com peso corporal adequado.

Estima-se que estilo de vida sedentário esteja associado a pelo menos 5% das mortes por câncer. Estudos mostram que a atividade física regular está associada a um risco diminuído para cânceres de fígado, cólon, pâncreas, mama e estômago. A atividade física durante determinados períodos da vida, como adolescência, pode oferecer proteção adicional contra malignidades, principalmente contra o câncer de mama (leia: CÂNCER DE MAMA | Fatores de risco).

A duração, intensidade e frequência exatas de atividade física que pode proporcionar proteção contra o câncer é desconhecida. As atuais recomendações para os adultos são de pelo menos 150 minutos semanais de exercícios de moderada intensidade (caminhar rapidamente, andar de bicicleta, trabalhos domésticos e jardinagem, subir ladeiras…) ou 75 minutos semanais de intensidade intensa (correr, praticar esportes, nadar, musculação…). Para as crianças, a recomendação é de pelo menos 60 minutos de atividades de intensidade moderada a intensa diariamente.

A atividade física têm efeito duplo na prevenção do câncer, pois combate o sedentarismo e ajuda no controle do peso corporal.

5. Pratique sexo seguro

Quase 20% de todos os cânceres estão relacionados a infecções, incluindo doenças causadas por bactérias e vírus. Nem todas as infecções que aumentam o risco de câncer são fáceis de se evitar. O exemplo mais comum é a infecção pela bactéria H.pylori, que aumenta o risco de câncer do estômago (leia: H.PYLORI (Helicobacter pylori) | Sintomas e tratamento).

Todavia, as infecções sexualmente transmissíveis são evitáveis através de ações, como reduzir o número de parceiros sexuais e usar preservativos (leia: CAMISINHA | Tudo o que você precisa saber). Entre as DST que aumentam o risco de câncer estão:

– HPV (leia: HPV | CÂNCER DO COLO DO ÚTERO) – associado ao câncer de colo do útero
– Hepatite B (leia: HEPATITE B | Sintomas, diagnóstico e vacina) – associado ao câncer de fígado
– Hepatite C (leia: HEPATITE C | Sintomas e tratamento) – associado ao câncer de fígado
– HIV (leia: SINTOMAS DO HIV | AIDS) – associado a vários cânceres.

Já existe vacina contra a hepatite B e contra o HPV, que ajuda a reduzir o risco de câncer do fígado e do colo do útero, respectivamente.

Autor do artigo
Dr. Pedro Pinheiro – Médico formado pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) em 2002. Diploma reconhecido pela Universidade do Porto, Portugal. Título de especialista em Medicina Interna pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ) em 2005. Título de Nefrologista pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ) e pela Sociedade Brasileira de Nefrologia (SBN) em 2007. Título de Nefrologista pelo Colégio Português de Nefrologia.

Leia o texto original no site MD.Saúde: PREVENÇÃO DO CÂNCER http://www.mdsaude.com/2012/05/prevencao-do-cancer.html#ixzz1ugCfa6Y5

Anúncios
Padrão
Não categorizado

POR QUE ÓLEOS DE PEIXE AJUDAM COM CONDIÇÕES NA ARTRITE REUMATOIDE E COMO ELES PODERIAM AJUDAR AINDA MAIS EM

Por que óleos de peixe ajudar com condições como a artrite reumatóide como eles poderiam ajudar ainda mais
ScienceDaily (28 de outubro de 2009) – Uma nova pesquisa da Queen Mary, University of London e da Harvard Medical School, revelou precisamente por isso que tomar óleo de peixe pode ajudar com condições como a artrite reumatóide.
Veja também:
Saúde e Medicina
Artrite
Dor comum
Sistema Imunológico
Mente & Cérebro
Drogas Ilegais
Distúrbios e Síndromes
Espiritualidade
Viver Bem
Referência
Os peixes gordos
Artrite
A artrite reumatóide
A COX-2 inibidor
Num artigo publicado em Nature 28 de Outubro de investigadores descrevem como o corpo converte um ingrediente encontrado em óleos de peixe em outro produto químico chamado Resolvin D2 e como este produto químico reduz a inflamação que conduz a uma variedade de doenças.
A pesquisa também sugere que Resolvin D2 pode ser a base para um novo tratamento para doenças, incluindo acidente vascular cerebral, septicemia e artrite. Ao contrário de outras drogas anti-inflamatórias, este produto químico não parece suprimir o sistema imunitário.
Os pesquisadores, que foram financiados pela Campanha de Investigação de artrite, o Wellcome Trust e pelo National Institutes of Health, olhou para um determinado ingrediente de óleos de peixe chamado DHA. Eles foram capazes de mostrar como o corpo converte em DHA * D2 Resolvin e descobrir a sua estrutura química exata.
Mauro Perretti, professor de Imunofarmacologia da Queen Mary, University of London, liderou a equipe britânica. Ele disse: “Nós já sabíamos há algum tempo que os óleos de peixe podem ajudar com condições como a artrite que estão ligadas à inflamação O que nós mostramos aqui é como o corpo processa um ingrediente especial de óleos de peixe em D2 Resolvin Nós também.. parecia em pormenor nesta química, determinando, pelo menos, algumas das maneiras que alivia a inflamação. Parece ser um produto químico muito potente e uma pequena quantidade pode ter um grande efeito “.
“Esta pesquisa é importante porque explica pelo menos uma maneira em que os óleos de peixe pode ajudar em diferentes tipos de artrite. Podemos também trabalhar sobre esta química e ver se ele pode ser usado não só para tratar ou mesmo evitar a artrite, mas também como um possível tratamento para uma variedade de outras doenças associadas com a inflamação. ”
Artrite, e muitas outras doenças, são causadas por inflamação. Isto significa que as defesas naturais do organismo contra infecções são equivocadamente dirigida a tecidos saudáveis.
Pesquisas anteriores já haviam mostrado que um passo crucial nesse processo ocorre quando as células brancas do sangue, chamados de leucócitos, manter o revestimento interno dos vasos sanguíneos, chamada endotélio.
Os pesquisadores estudaram as células do sangue e como eles interagem com o endotélio no laboratório. Quando eles adicionaram Resolvin D2 eles descobriram que as células endoteliais produzido pequenas quantidades de óxido nítrico, que actua como um sinal químico desencorajar os glóbulos brancos adira às células endoteliais e prevenir a inflamação.
* DHA (ácido docosa-hexaenóico) é um ácido gordo omega-3. Os óleos de peixe são uma rica fonte de DHA.
Compartilhar esta história no Facebook , Twitter e Google :

Bookmarking social e outras ferramentas de compartilhamento:
Compartilhar no blogger Compartilhar no digg Compartilhar no fark Compartilhar no LinkedIn Compartilhar no MySpace Compartilhar no newsvine Compartilhar no reddit Compartilhar no stumbleupon | 72
Fonte Story:
A história acima é reproduzida a partir de materiais fornecidos pelo Queen Mary, Universidade de Londres , através de EurekAlert! , um serviço da AAAS.
Nota: Os materiais pode ser editado para conteúdo e duração. Para mais informações, entre em contato com a fonte citada acima.
Journal Referência :
. Apesar et al Resolvin D2 é um potente regulador de leucócitos e septicemia controles microbiana . natureza , 2009; 461 (7268): 1287 DOI: 10.1038/nature08541
Necessidade de citar esta história em seu ensaio, relatório de papel, ou? Use um dos seguintes formatos:
APA

MLA
Queen Mary, University of London (2009, 28 de outubro). Por que óleos de peixe ajudar com condições como a artrite reumatóide como eles poderiam ajudar ainda mais. ScienceDaily . Retirado 12 de maio, 2012, de http://www.sciencedaily.com / releases/2009/10/091028142227.htm
Nota: Se nenhum autor é dado, a fonte é citada em seu lugar.
Disclaimer : Este artigo não pretende fornecer aconselhamento médico, diagnóstico ou tratamento. Opiniões aqui expressas não refletem necessariamente as do ScienceDaily ou seu pessoal.
ampliar

Postas de salmão selvagem. O salmão é rico em omega-3 os ácidos gordos. Pesquisadores descobriram agora precisamente por isso que tomar óleo de peixe pode ajudar com condições como a artrite reumatóide. (Crédito: iStockphoto / Liza McCorkle)
Anúncios do Google

Padrão
Não categorizado

DESCOBERTO MECANISMO ENTRE PSORIASE E EVENTOS CARDIOVASCULARES

Mecanicista Descoberta Psoríase Links para Aumento do risco de DCV
ScienceDaily (10 de maio de 2012) – A ligação entre psoríase e eventos cardiovasculares foi observada durante anos, porém os mecanismos eram desconhecidos. Pela primeira vez, Case Western Reserve University School of Medicine descobriram evidências pré-clínicas demonstrando que a doença inflamatória da pele leva à doença cardiovascular. Além disso, a investigação mostrou que a reversão agressivo da psoríase reduz o risco cardiovascular, bem. A psoríase é uma doença crônica do sistema imune que aparece como levantou, inflamadas, manchas escamosas vermelhas da pele e é freqüentemente associada com coceira intensa. Nos Estados Unidos, que afecta entre dois e meio a seis milhões de pacientes.
Veja também:
Saúde e Medicina
Psoríase
Cuidados com a pele
Doença cardíaca
Doenças e Condições
Prevenção do AVC
Dor comum
Referência
Erupção
Caspa
Coceira
Psoríase
Publicado no Journal of Investigative Dermatology , o estudo utilizou um novo modelo de mouse inovadora para demonstrar uma relação causal entre a doença de pele e doenças cardiovasculares. Dr. Ward e sua equipe de pesquisa demonstraram que ratos geneticamente modificados para expressassem uma proteína chamada Tie-2 na pele, desenvolver uma doença de pele semelhante à psoríase humana. Usando este modelo, eles mostraram que a inflamação, persistente crónica confinada a pele pode resultar em inflamação em artérias grandes, tais como a aorta.
“Esta descoberta é mudança de paradigma. Não tem sido um elo entre as duas doenças, mas até agora não tinha sido capaz de mostrar a causa. Evidências epidemiológicas de milhares de pacientes foi convencer que pacientes com psoríase teve uma chance muito maior de desenvolver doença cardiovascular e morte a partir dele “, diz Nicole Ward, PhD, autor sênior do estudo, professor assistente de dermatologia e neurociências na Case Western Reserve Escola de Medicina e cientista do Centro de Família Murdough para Psoríase no Centro Universitário Caso Hospitais de Medicina.
Há um aumento de risco conhecido do coração, doenças cerebrovasculares, e doenças arteriais periféricas, bem como risco de morte, em indivíduos que sofrem de uma variedade de doenças inflamatórias crónicas, tais como a artrite reumatóide (AR), colite, doença periodontal, lúpus, e psoríase. Muitos pesquisadores mostraram, estatisticamente, que ter psoríase leva a um risco aumentado para doença cardiovascular e complicações cardíacas, no entanto não ficou claro por que isso ocorre e foi difícil separar a importância de fatores de estilo de vida e suas contribuições a este risco, acrescenta .
Baseado em relatórios publicados clínicos que demonstram pacientes com psoríase tinham risco aumentado de desenvolver e morrer de ataque cardíaco e acidente vascular cerebral, Dr. Ward e sua equipe definir-out para investigar se o seu modelo do rato da psoríase também mostrar as complicações cardíacas, imitando esses vistos em doença humana . Eles uniram-se com especialistas no papel da inflamação na lesão do vaso – Yunmei Wang, PhD, professor assistente de medicina na Escola de Medicina e I. Daniel Simon, MD o Herman K. Hellerstein Professor de Pesquisa Cardiovascular da Faculdade de Medicina e Medicina, chefe Cardiovascular nos Hospitais do Centro Universitário de casos médicos.
“Acreditávamos que a inflamação crônica sobre uma grande área do corpo pode ser a razão para um aumento do risco de complicações cardiovasculares em pacientes com doença de pele, no entanto, até agora não tínhamos maneira de modelo e provar definitivamente isso”, diz o Dr. Wang.
Dr. Ward e sua equipe mediram a formação de coágulos de sangue no modelo do rato psoríase e camundongos normais, revelando que o tempo foi muito reduzido nos ratos doentes. Este tempo reduzido para a obstrução dos vasos é semelhante a um maior risco de obstrução dos vasos sanguíneos em humanos que leva ao acidente vascular cerebral ou ataque cardíaco. Exame subsequente revelou que o ratos com a doença de pele também exibiu inflamação da parede do vaso semelhante à observada com lesões ateroscleróticas ou placas.
Importante, e altamente significativa para pacientes com psoríase, o trabalho do Dr. Ward foi capaz de demonstrar que a reversão da doença de pele, a inflamação cardiovascular e formação de coágulo de sangue também foram reduzidos.
“Nossas observações de inflamação da parede dos vasos e melhora diminuiu a formação de coágulos na sequência de pele específicas de repressão da doença a evidência de que a inflamação da pele promove a inflamação vascular e trombose, sugerindo fortemente que o tratamento agressivo da doença de pele pode bloquear as vias que produzem doença cardiovascular em pacientes com psoríase, “diz o Dr. Ward.
, Dr. Ward irá apresentar estas descobertas no Society 2012 para Reunião Investigative Dermatology anual esta semana em Raleigh, NC.
Esta pesquisa foi financiada pelos Institutos Nacionais da Saúde, Fundação Nacional de Psoríase, eo Centro de Família Murdough para a psoríase.

Compartilhar esta história no Facebook , Twitter e Google :

Bookmarking social e outras ferramentas de compartilhamento:
Compartilhar no blogger Compartilhar no digg Compartilhar no fark Compartilhar no LinkedIn Compartilhar no MySpace Compartilhar no newsvine Compartilhar no reddit Compartilhar no stumbleupon | 1
Fonte Story:
A história acima é reproduzida a partir de materiais fornecidos pela Case Western Reserve University , através de Newswise .
Nota: Os materiais pode ser editado para conteúdo e duração. Para mais informações, entre em contato com a fonte citada acima.
Journal Referência :
Yunmei Wang, Huiyun Gao, Candace M Loyd, Wen Fu, Doina Diaconu, Shijian Liu, Kevin D Cooper, Thomas S McCormick, Daniel I Simon, Nicole L Ward. Inflamação da pele Específico crônica promove a inflamação vascular e trombose . Journal of Investigative Dermatology , 2012; DOI: 10.1038/jid.2012.112
Necessidade de citar esta história em seu ensaio, relatório de papel, ou? Use um dos seguintes formatos:
APA

MLA
Case Western Reserve University (2012, 10 de maio). Mecanicista descoberta psoríase links para aumento do risco de DCV. ScienceDaily . Retirado 12 de maio, 2012, de
Nota: Se nenhum autor é dado, a fonte é citada em seu lugar.
Disclaimer : Este artigo não pretende fornecer aconselhamento médico, diagnóstico ou tratamento. Opiniões aqui expressas não refletem necessariamente as do ScienceDaily ou seu pessoal.
Anúncios do Google

Padrão
Não categorizado

DOENÇA DO TECIDO CONJUNTIVO E ESCLERODERMIA = USO DO METOTREXATO

Pesquisar
AvançadoAjudar
Filtros de Resultados
Configurações de exibição:AbstratoEnviar para:
Exp Clin Reumatol. 2010 Set-Out; 28 (5 Suppl 61): S160-3. Epub 2010 28 de outubro.
A utilização de metotrexato em pacientes com doença do tecido conjuntivo misto e esclerodermia.
Kowal-Bielecka O , O Distler .
Fonte
Departamento de Reumatologia e Medicina Interna, Medicina da Universidade de Bialystok, Bialystok, na Polônia.
Abstrato
Esclerose sistémica (esclerodermia, ES) e doenças do tecido conjuntivo misto (MCTD) são doenças auto-imunes caracterizadas por um largo espectro de manifestações clínicas, incluindo formas diferentes de alterações da pele músculo-esqueléticas, envolvimento e vascular, bem como complicações de órgãos internos. Curso clínico e os resultados podem variar de formas leves, com bom prognóstico clínico a graves rapidamente progressivas doenças potencialmente fatais. Atualmente, terapias imunossupressoras são considerados um marco no tratamento da DMTC, e são freqüentemente usados ​​na prática clínica no ES apesar da evidência limitada de estudos clínicos. O objetivo desta revisão é discutir os dados disponíveis em relação à eficácia do metotrexato terapia na ES e DMTC.
PMID: 21044452 [PubMed – indexado para o MEDLINE]
Tipos de Publicação, termos MeSH, Substâncias

LinkOut – mais recursos

Padrão
Não categorizado

IMPLANTE DE QUADRIL PARA USO A LONGO PRAZO

À medida que a interface entre a célula e do seu ambiente, a membrana celular, que consiste em gorduras e proteínas, preenche uma variedade de funções vitais. Cientistas do Instituto Max Planck de Bioquímica em Martinsried, perto de Munique realizaram a primeira análise abrangente da estrutura molecular da camada limite, e revelou precisamente como é organizado. Em células de levedura, a membrana inteira é composta de domínios independentes, cada uma contendo apenas um ou alguns poucos tipos de proteínas. Se uma proteína é transferida para um domínio inadequado, pode até deixar de funcionar. O estudo mostra que a membrana é uma espécie de colcha de retalhos e deve ajudar os cientistas a obter uma melhor compreensão dos processos celulares básicos. (Crédito: Cortesia da imagem da Fraunhofer-Gesellschaft) Anúncios do Google

À medida que a interface entre a célula e do seu ambiente, a membrana celular, que consiste em gorduras e proteínas, preenche uma variedade de funções vitais. Cientistas do Instituto Max Planck de Bioquímica em Martinsried, perto de Munique realizaram a primeira análise abrangente da estrutura molecular da camada limite, e revelou precisamente como é organizado. Em células de levedura, a membrana inteira é composta de domínios independentes, cada uma contendo apenas um ou alguns poucos tipos de proteínas. Se uma proteína é transferida para um domínio inadequado, pode até deixar de funcionar. O estudo mostra que a membrana é uma espécie de colcha de retalhos e deve ajudar os cientistas a obter uma melhor compreensão dos processos celulares básicos. (Crédito: Cortesia da imagem da Fraunhofer-Gesellschaft)
Anúncios do Google

Implante de quadril para uso a longo prazo
ScienceDaily (04 de maio de 2012) – Hip substituição é uma das operações mais freqüentes realizadas na Alemanha. Cada ano, os médicos implantar cerca de 200.000 articulações do quadril artificial. Muitas vezes, os quadris artificiais precisar de ser substituído apenas 10 anos mais tarde. No futuro, um novo implante sendo desenvolvidos com materiais de alta tecnologia poderia ajudar a prevenir prematuros cirurgias de revisão.
Veja também:
Saúde e Medicina
Osso e Espinha
Osteoporose
Leucemia
Saúde da Mulher
Incapacidade
Menopausa
Referência
Coração artificial
Articulação
Displasia da anca
Fratura óssea
Graças a quadris artificiais, as pessoas com danos irreparáveis ​​para o conjunto ter sido capaz de levar ativos, sem dor vidas durante os últimos 50 anos. Ainda assim, algumas substituições de quadril não funcionar completamente como se pretendia, e metal-metal-implantes em particular, o posicionamento exato da demanda em cirurgia e implantes posicionados não ideal são frequentemente suscetíveis à falha prematura nomeadamente em pequenos pacientes do sexo feminino. Os médicos estão mesmo chamando para uma proibição sobre o uso de articulações artificiais feitas de ligas de cobalto-cromo em que esfera da articulação de metal entra em atrito com seu soquete de metal sempre que o usuário anda. De metal ou mal projetadas posicionado sobre implantes metálicos pode levar a maiores taxas de desgaste e isso libera elevados níveis de cobalto-cromo de íons que se espalham através do sangue e da linfa, potencialmente prejudiciais órgãos e desencadeando inflamação. Íons metálicos também são suspeitos carcinógenos. Como essas substituições de quadril são tão robustas, no entanto, até à data têm sido muitas vezes implantados em pacientes jovens e ativos.
Um compósito metal-livre
Pesquisadores do Instituto Fraunhofer para Engenharia de Produção e Automação IPA, em Stuttgart, em parceria, uma equipe internacional em um projeto financiado pela CE, intitulado “suportar” (Resurfacing Maior durabilidade Endoprótese), já desenvolveu um novo tipo de implante de quadril que, ao contrário do convencional implantes de contrapartida no mercado hoje, oferecer uma solução livre de metal e osso como elasticidade. Este é o resultado de um metal livre, de alta tecnologia composto: O acetábulo é feito de PEEK fibra de carbono reforçado – uma alta resistência, resistente ao desgaste, polímero biocompatível composto. Para a cabeça femoral, cerâmica foi usado. Em adição a isto, um revestimento de hidroxilapatite na interface para o osso ajuda a garantir que o tecido ósseo irá fundir completamente com a estrutura da superfície do implante. “Os implantes de cobalto-crómio em uso até à data são muito rígida, ea transferência de carga para o osso é não ideal levando a adaptação óssea potencial adverso. Graças à nova combinação de materiais, a transmissão da força através do encaixe do quadril PEEK para do osso pélvico é modelado em condições naturais. E não há íons metálicos liberados “, observa o engenheiro IPA Jasmin Hipp. A pesquisadora e sua equipe foram capazes de confirmar a boa resistência ao desgaste em testes iniciais da substituição da anca novo usando um robô que várias séries simuladas de movimentos como andar ou subir e descer escadas. Os experimentos utilizado um protótipo do implante.
Pinos minúsculos proteger o tecido ósseo
O ENDURE implantes seguir o princípio de ossos conservação de desgaste da anca: eles são de paredes finas conchas que substituem a superfície de apoio da articulação comum sozinho, em vez de empregar grande de metal hastes de apoio, o que requer um volume substancial de osso a ser removido. Os investigadores têm também redesenhado a forma da prótese é mecanicamente ligado ao osso. Sem cimento, e usando uma prensa de ajuste e uma estrutura de andaime tipo integral sobre as superfícies de contacto do implante que o osso, a bola hemisférica e tomada são aproveitado para a cabeça femoral e preparada no acetábulo – a superfície, natural côncava da pélvis – e ancorada no lugar.
Para assegurar o posicionamento melhor possível da anca artificial, os investigadores em IPA desenvolveram uma ferramenta de tamanho escalável que atribui o implante para padrão instrumentos cirúrgicos, permitindo a implantação, re-alinhamento e remoção. A ferramenta pode ser descartada após uma única utilização – como uma luva cirúrgica descartável. O desafio é unir instrumentos para o implante copo de paredes finas, com força suficiente para implante de reposicionamento. O instrumento apresenta uma combinação inteligente pino pinça permitindo forte, rápida, fixação de posição única e desapego pelo cirurgião. Os cientistas já apresentou um pedido de patente para a ferramenta. Uma equipa de médicos na Universidade de Newcastle demonstraram, em operações executadas em cadáveres, o quadril novo pode ser fixado no lugar e, se necessário, removido sem quaisquer dificuldades. Enquanto isso, os estudos pré-clínicos foram concluídas, eo trabalho final de desenvolvimento está sendo planejado para permitir estudos clínicos para começar. Os parceiros do projecto financiado pela UE são Aurora de Medicina, Medicoat, Hunt Developments, Ala Ortho, CeramTec, Invibio, Biomatech e as Universidades de Gotemburgo e Southampton.
Compartilhar esta história no Facebook , Twitter e Google :

Bookmarking social e outras ferramentas de compartilhamento:
Compartilhar no blogger Compartilhar no digg Compartilhar no fark Compartilhar no LinkedIn Compartilhar no MySpace Compartilhar no newsvine Compartilhar no reddit Compartilhar no stumbleupon | 13
Fonte Story:
A história acima é reproduzido a partir de materiais fornecidos pelo Fraunhofer-Gesellschaft , via AlphaGalileo .
Nota: Os materiais pode ser editado para conteúdo e duração. Para mais informações, entre em contato com a fonte citada acima.

Padrão
Não categorizado

CASOS DE OSTEOPOROSE

Ferramenta de Auto-Avaliação Endócrina – Casos de Osteoporose
DECLARAÇÃO DE CREDENCIAMENTO
A Endocrine Society é credenciada pelo Conselho de Credenciamento para Educação Médica Continuada para oferecer educação médica continuada para os médicos. A Endocrine Society obteve Acreditação com Louvor. A Endocrine Society designa esta atividade duradoura para um máximo de 2,0 AMA PRA categoria 1 Créditos ™. Os médicos devem reivindicar só o crédito proporcional à extensão de sua participação na atividade. declaração de independência como um provedor de educação médica continuada (CME) credenciada pelo Conselho de Credenciamento para Educação Médica Continuada, The Endocrine Society tem uma política de garantir que o conteúdo e qualidade da atividade educacional são equilibrados, independente, objetiva e cientificamente rigorosa. O conteúdo científico desta atividade foi desenvolvida sob a supervisão do Comitê da Sociedade de Endocrinologia de Programas Especiais (SPC). Os defensores comerciais da atividade não tem influência sobre a seleção do corpo docente ou apresentações específicas. AVISO LEGAL As informações apresentadas nesta atividade representa a opinião da faculdade e não é necessariamente a posição oficial da Sociedade de Endocrinologia. Objetivos Após a conclusão deste atividade permanente, os alunos serão capazes de:

Discuta os méritos relativos das abordagens para determinar o risco de fratura individualizada.
Identificar avanços atuais e controvérsias na terapia anti-e seu impacto no cuidado clínico.
Avaliar o papel da L-RANK no metabolismo ósseo e terapia da osteoporose.
PÚBLICO ALVO
Esta atividade de educação médica continuada deve ser de interesse substancial para o endocrinologista, companheiros endócrinas e profissionais de saúde que tratam pacientes com osteoporose. POLÍTICA DE DIVULGAÇÃO A faculdade, os membros da comissão, eo pessoal envolvido no planejamento desta atividade CME são obrigados a divulgar aos alunos qualquer relevante relação financeira (s) que têm ocorrido nos últimos 12 meses, com nenhum interesse comercial (s) cujos produtos ou serviços são discutidos no conteúdo CME. Tais relações são definidas por remuneração em qualquer quantidade a partir do interesse comercial (s) na forma de subvenções, apoio à pesquisa; honorários de consultoria; salário; participação (por exemplo, ações, opções de ações ou de juros propriedade excluindo diversificados fundos de investimento); honorários ou outros pagamentos de participação nos gabinetes dos oradores, conselhos consultivos ou conselhos de administração, ou outros benefícios financeiros. A intenção desta divulgação não é impedir o corpo docente com relações financeiras relevantes do planejamento ou da entrega de conteúdo, mas sim dotar os alunos com informações que lhes permite fazer seus próprios julgamentos. Resta-alunos para determinar se os interesses financeiros ou relacionamentos podem influenciar a atividade educativa com relação à exposição ou conclusão. A Endocrine Society reviu todas as divulgações e resolvidos ou geridos todos os conflitos de interesse identificados, conforme aplicável. A faculdade informou seguinte relações financeiras relevantes :

Bart L. Clarke, MD: Pesquisa subvenções de apoio, NPS Pharmaceuticals; Speaker honorários, Amgen.
O corpo docente seguinte não relataram relações financeiras relevantes: Kurt A. Canil, MD Os seguintes membros do CEP que planejaram e / ou revisão de conteúdo para essa atividade não relataram relações financeiras relevantes: nada pessoal Endocrine Society associado com o desenvolvimento de conteúdos para essa atividade não relataram relações financeiras relevantes. O editor médico para este programa, Abbie L. Abboud, MS, CGC, ELS , não relataram relações financeiras relevantes. POLÍTICA DE Unlabeled / uso off-label A Endocrine Society determinou que a divulgação de unlabeled / off-label ou uso experimental do produto comercial (s) é informativo para o público e, portanto, exige que essas informações sejam divulgadas para os alunos no início da apresentação. Utilizações de agentes terapêuticos específicos, dispositivos, e outros produtos discutidos nesta actividade educacional pode não ser o mesmo que os indicados na rotulagem produto aprovado pela Food and Drug Administration (FDA). A Endocrine Society requer que todas as discussões de tais “off-label” de uso deve ser baseado em pesquisa científica que está de acordo com padrões geralmente aceitos de projeto experimental, a coleta de dados e análise de dados. Antes de recomendar ou prescrever qualquer agente terapêutico ou dispositivo, os alunos devem rever as informações completas de prescrição, incluindo as indicações, contra-indicações, advertências, precauções e eventos adversos. DECLARAÇÃO DE PRIVACIDADE E CONFIDENCIALIDADE A Endocrine Society irá gravar informações pessoais do aluno, tal como previsto nas avaliações do CME para permitir para a emissão e acompanhamento de certificados CME. A Endocrine Society também pode acompanhar as respostas às questões globais em atividades e avaliações e usar esses dados para informar a avaliação contínua e melhoria de seu programa de CME. Não há dados de desempenho individual ou quaisquer outras informações pessoais coletadas a partir de avaliações serão compartilhadas com terceiros. AVISO DE APOIO COMERCIAL Esta actividade é suportada por subvenção educacional da Amgen. MÉTODO DE PARTICIPAÇÃO Este material duradouro é apresentado em um formato on-line / baseado em computador. Requisitos do sistema incluem:

Padrão
Não categorizado

CRIANÇAS ARTRÍTICAS = IL-6 OBRAS EM…

BSRÚltimas Notícias | Encontros | Vídeos
E-mail Imprimir Salvar
IL-6 Obras de anticorpos em crianças artríticas
Por Nancy Walsh, Escritor, MedPage Today
Publicado em: 04 de maio de 2012

Avaliado por Zalman S. Agus, MD ; Professor Emérito, Perelman Faculdade de Medicina da Universidade da Pensilvânia e Caputo Dorothy, MA, BSN, RN, Planner Enfermeira

Pontos de Ação
Este estudo foi publicado como um resumo e apresentado em uma conferência. Estes dados e conclusões devem ser considerados preliminares até publicado em um jornal peer-reviewed.
Note que tocilizumab deu uma resposta sustentada de 52 semanas em pacientes com artrite idiopática juvenil sistêmica e características basais variando demográficas e da doença e tratamentos prévios e / ou linha de base.
GLASGOW – Tocilizumab (Actemra) manteve a eficácia durável para crianças com artrite idiopática juvenil sistêmica (AIJ), em um estudo de extensão de rótulo aberto, os investigadores relatados aqui.

Entre 103 pacientes que receberam o inibidor de interleucina-6 por um ano, 87,4% tiveram uma melhora contínua de 30% nos sintomas, sem febre, de acordo com Fabrizio De Benedetti, MD, do Hospital Pediátrico Bambino Gesù, em Roma, e seus colegas da Europa, Canadá , e nos Estados Unidos.

Além disso, com um ano de tratamento, 64,1% tiveram uma melhora de 90% nos sintomas de febre e ficou livre, relataram os pesquisadores em uma sessão de pôster na reunião anual da Sociedade Britânica de Reumatologia.

AIJ sistêmica difere das formas mais comuns de artrite pediátrica em suas manifestações sistêmicas.

Porque a patogênese parece envolver a IL-6, em vez de factor de necrose tumoral como nos outros tipos de AIJ, o anticorpo monoclonal tocilizumab foi avaliada em uma fase III, controlado com placebo, ensaio de 12 semanas que incluiu 112 pacientes com idades de 2-17 .

Quando esse estudo demonstrou a eficácia, os pesquisadores continuaram com uma fase de extensão de rótulo aberto para examinar efeitos a longo prazo para essas crianças.

Tocilizumab foi dado a cada 2 semanas, em doses de 12 mg / kg para os pacientes com menos de 30 kg, e em doses de 8 mg / kg para os com peso de 30 kg ou mais.

Durante o ano de seguimento, os investigadores descobriram que a resposta não parece variar de acordo com a idade.

Por exemplo, entre aqueles que tinham idades entre 6 a 12 no início do estudo, 50,5% tiveram respostas de 90%, assim como 54,3% dos 13 a 17 idades.

As respostas de 30% na semana 52 também não pareceu variar, de acordo com outras variáveis:

Proteína C-reactiva 50 mg / L
10 a 29 articulações activas, 82,4% versus 95,2% para 31 a 71 articulações activas
Tratamento biológico anterior, 88% para a exposição anterior contra 85% para qualquer exposição anterior
Variáveis ​​adicionais, onde não foram observadas diferenças com a presença de febre no início, duração da doença, a dosagem de corticosteróides, metotrexato e tratamento prévio com um inibidor de IL-1.

Este estudo de extensão de rótulo aberto confirmou as conclusões do estudo duplo-cego de fase III, “demonstrando benefícios continuados para tocilizumab através de um amplo espectro de características do paciente, e mesmo em pacientes com grave, difícil de gerenciar a doença”, De Benedetti e colegas concluíram.

Tocilizumab está aprovado, tanto nos Estados Unidos e do Reino Unido para o tratamento da AIJ sistêmica.

O estudo foi patrocinado pela Roche.

Os autores declararam ausência de conflitos de interesse.

Fonte primária: Sociedade Britânica de Reumatologia
referência Fonte:
De Benedetti F, et al “A eficácia de tocilizumab em pacientes com artrite idiopática juvenil sistêmica: 52 semanas de dados de um ensaio clínico de fase 3” BSR 2012; Resumo 68.

Padrão