Não categorizado

Oleos de massagem

 

Óleos de massagem

Aqui fica um breve olhar sobre o uso de alguns óleos de massagem e aromoterapia segundo a medicina ayurvédica e a medicina tradicional chinesa. Deve-se fazer a mistura de algumas gotas de óleos essenciais com óleos neutros. Não se devem utilizar sem o devido acompanhamento médico.

 

Todos os óleos provocam mudanças vibracionais.

 

Alecrim – Promove a circulação de energia e sangue. Tem propriedades calmantes. Utilizado em casos de reumático, rigidez e dor muscular e articular, caimbras, tosse, depressão, baixa auto-estima, falta de concentração, pensamento excessivo.

 

Alfazema – É um óleo fresco com propriedades relaxantes. Alivia dores de cabeças, agitação geral, tensão nervosa, insónia, palpitações, sintomas de pânico emergente.

 

Amêndoas Doces – Óleo neutro que pode ser utilizado em crianças. É bom para os ossos e cérebro.

 

Árvore do Chá – Constipações, infecções várias, gripes, sinusite, fadiga mental. Reforça os pulmões, coração e sistema nervoso.

 

Canela – Dores musculares

 

Côco – É considerado frio e deve sobretudo ser utilizado no Verão, principalmente por pessoas que sofrem de patologias de calor. É muito utilizado em massagem na cabeça, sendo bom para o couro cabeludo e cérebro.

 

Eucalipto e Cravinho – São também óleos quentes, bons para sinusites e constipações comums.

 

Gengibre – Picante e Quente. Aquece o corpo e promove a circulação. Utilizado para combater constipações, falta de apetite, náuseas, patologias musculares e ósseas, dores lombares. Aumenta a confiança.

 

Mostarda – É muito quente, deve ser utilizado no Inverno mas sempre em pequenas quantidades. Utilizado em inflamações, artroses, para promover a circulação, combater obesidade e acumulação de liquidos.
Pode contudo criar problemas na pele, deve por isso ser utilizado com outros óleos que diminuam as suas propriedades.

 

Sésamo – É o dos óleos mais comuns na massagem ayurvédica, é um óleo neutro que pode ser usado em qualquer altura do ano.

 

Ylang – Ylang – Depressões. Despertar os sentidos.

Padrão
Não categorizado

Terapia Sacro Craniana

  • Terapia Sacro Craniana

Terapia Sacro Craniana

 

A Terapia Sacro Craniana foi desenvolvida pelo médico e osteopata americano Dr. John Upledger, após um estudo científico intensivo entre 1975 e 1983, enquanto professor de biomecânica e investigador clínico na Universidade Estatal de Michigan nos Estados Unidos da America.

 

É uma terapia manual, muito suave, que tem como objectivo avaliar e melhorar a função fisiológica do sistema sacro craniano, um sistema fisiológico do qual fazem parte as membranas cranianas e o líquido cefalo raquidiano que envolve e protege o cérebro e a espinal medula. Este sistema mantém uma relação entre o sacro e o crânio através do tubo dural e está exposto a tensões anormais que podem causar alterações em várias partes do corpo.

 

Usando um toque muito leve, de uma maneira geral não superior a 5 gramas, o terapeuta sacro craniano pode libertar certas restrições no sistema sacro craniano e dissipar os efeitos negativos do stress sobre o sistema nervoso central, facilitando o processo de recuperação do próprio sistema de auto-regulação, permitindo assim que este faça as suas próprias correcções quando e onde estas sejam necessárias, sem decerto modo contrariar o processo fisiológico normal.

 

A Terapia Sacro Craniana está indicada em qualquer faixa etária e raramente tem contra indicações. Em doentes de idades mais avançadas esta terapia pode melhorar a mobilidade funcional e proporcionar mais energia.

 

É cada vez mais usada como terapia preventiva por ser benéfica no apoio e reforço às resistências naturais contra as doenças e é eficaz numa grande variedade de problemas médicos associados à dor e à disfunção, incluindo:

 

  • Enxaquecas;
  • Dores de cabeça;
  • Dores musculares crónicas da coluna vertebral;
  • Dificuldades respiratórias;
  • Dificuldades de coordenação motora;
  • Cólicas;
  • Autismo;
  • Disfunções do sistema nervoso central;
  • Problemas músculo esqueléticos;
  • Problemas generalizados nas crianças;
  • Dificuldades na aprendizagem;
  • Fadiga crónica, dificuldades emocionais;
  • Problemas relacionados com stress;
  • Problemas do tecido conjuntivo;
  • Fibromialgia;
  • Disfunções temporo-mandibulares;
  • Disfunções neurovasculares e do sistema imunitário, entre outros.

 

Um aspecto importante da Terapia Sacro Craniana é o facto de esta poder ser conjugada com outras terapias ou usada individualmente, tendo sempre como objectivo o bem estar do doente.

 

Cada vez mais chegamos à conclusão de que nenhuma terapia é perfeita, em muitos casos umas funcionam melhor do que outras, e em alguns casos melhor do que noutros, portanto, quando se pode oferecer uma terapia integrada a recuperação do doente é sempre mais eficaz.

 

Padrão
Não categorizado

Osteopatia = fisioterapia

  • Osteopatia

O que é a Osteopatia?

 

Osteopatia deriva das palavras gregas (pathos) doença dos (osteon) ossos, e tem como objectivo último tratar problemas do sistema músculo-esquelético, através de uma análise global do corpo e da sua postura, sendo considerada uma terapia holística.

A sua origem data do finais do século XIX a partir da investigação do médico norte-americano Andrew Taylor Still que estabelece a relação entre a alteração estrutural (músculo-esquelética) e o resto do corpo como elemento chave na saúde. Andrew Still achava que o bom equilíbrio das estruturas era crucial para evitar o aparecimento de disfunções e de doenças. Ou seja, o corpo tem possibilidades de se reequilibrar e de se autocurar.

 

Como Actua a Osteopatia?

 

A função do osteopata é tratar, através das mãos, as disfunções somáticas e estruturais do corpo baseando-se no seu conhecimento profundo da anatomia, fisiologia e biomecânica do mesmo. Tem como função restaurar o equilíbrio da mobilidade sem dor, uma vez que o movimento é a base de todo o funcionamento do nosso corpo.

O Osteopata utiliza técnicas específicas para cada tipo de tecido (ossos, ligamentos, músculos e visceras) e de lesão a partir do seu exame inicial, sendo estas:
- Técnicas estructurais: manipulação da disfuncção vertebral com impulso de pequena ou alta velocidade.
– Técnicas funcionais: no tratamento de compressão nervosa com a técnica de trigger points.
– Técnicas rítmicas e miotensivas: bombeios, estiramentos , facilitação neuro-muscular e técnicas harmónicas.
– Técnicas de relaxamento: muscular, massagem dos tecidos para libertar contracturas, espasmos e tensões nas fascias.

Quem pode beneficiar do tratamento Osteopático?

  • Pessoas que sofram de dores indefinidas nas costas (ex: ciática, escolioses)
  • Dores musculares que resultem de doença crónica ou de lesão (ex: lesões na cervical, torcicolos, ombros, tendinites)
  • Dores nas articulações resultantes de distensões ou entorses, artrites e problemas de mobilidade da aticulação dos maxilares (ATM)
  • Dores de cabeça, sinusites e irritabilidade
  • Stresse ocupacional ou de postura, hérnias discais e lombalgias
  • Bebés : cólicas, deformações cranianas pós-parto, choro intenso, vómitos, etc.
  • Traumatismos: pós-parto, traumatismos de acidentes e lesões desportivas

 

Quanto tempo dura uma consulta osteopática?

A primeira consulta é a mais longa, pois comporta um historial do caso, um exame completo (observação, testes ortopédicos, osteopáticos, neurológicos etc.), um diagnóstico e por fim tratamento. Esse tratamento, frequência e duração do mesmo vai variar de caso para caso. As seguintes consultas terão a duração inferior que variará em função do tratamento necessário e apropriado a cada caso.

 

 

Contra- indicações

A Osteopatia está contra-indicada em casos de reumatismo inflamatório, cancro dos ossos, fracturas graves e alguns casos de osteoporose avançada, que exigem tratamentos muito específicos.

Padrão
Não categorizado

Fisioterapia = o que é

  • Fisioterapia

 Fisioterapia

O Fisioterapeuta actua na identificação, prevenção, recuperação, reeducação, habilitação e reabilitação de incapacidades originadas por disfunções físicas do foro funcional músculo-esquelético, cardiovascular, respiratório e neurológico, entre outros.. e disfunções psíquicas.

Tem o objectivo de desenvolver a máxima funcionalidade e qualidade de vida, concebendo programas, seleccionando, planificando e utilizando técnicas, modalidades educativas e terapêuticas específicas baseadas no movimento, nas terapias manipulativas e meios físicos e naturais, escolhidas a partir da análise e avaliação do movimento e da postura.

 

Cadeias Musculares de Busquet

 

Cadeias Musculares é um método de reeducação postural, criado pelo francês Leopold Busquet, que utiliza técnicas modernas para abordar o aparelho locomotor em todos os circuitos formados por tais cadeias. Este método tem por objectivo preservar ou restituir o equilíbrio estático e dinâmico dos pacientes.

 

O tratamento visa reequilibrar as fontes de tensões musculares, articulares, viscerais e cranianas, livrando, assim, as cadeias musculares das tensões internas, deixando-as livre e equilibradas, além de uma óptima estática e movimento fácil e inteiro.

 

O Tratamento


É feito a partir de um diagnóstico fisioterapeutico preciso que utiliza recursos manuais, posturas específicas e movimentos controlados, buscando a causa da patologia que, muitas vezes, está localizada à distância do sintoma.

 

Indicações

 

 

  • Recém-nascidos, para que eles se sintam bem na sua pele após tensões no parto (apneia do recém-nascido, regurgitações, choros, sono, deformações);
  • Crianças com deformações em pés, joelhos, escolioses, dores do crescimento;
  • Atletas, para melhorar a confiança e a performance de seu aparelho locomotor, e diminuir o risco de lesões;
  • Patologias da coluna, como dores, artrose, alterações posturais, escoliose e hérnias discais;
  • Lesões e patologia articulares, musculares e tendíneas, como tendinite, bursite, artrose, deformidades dos pés e joelhos, etc;
  • Cefaleias, desordens da articulação temporo-mandibular (ATM), disfunções viscerais (incontinência urinária, lentidão no trânsito alimentar, obstipação intestinal, problemas pós-parto, etc).

 

RPG – Reeducação Postural Global


Nos dias que correm, alimentados por posturas incorrectas no local de trabalho e nas AVD’s (actividades de vida diária) desenvolvem-se desequilíbrios, que perpetuados, poderão gerar situações de dor, inviabilizadoras de um estilo de vida saudável.
A reeducação postural global (RPG), assume-se como uma resposta eficaz para contrariar esta tendência de desequilíbrio corporal, uma vez que preconiza uma perspectiva global de avaliação e tratamento.

 

Este método de terapia manual utiliza posturas desenvolvidas com objectivos específicos, que pressupõem uma participação activa do paciente, e que visam garantir uma maior harmonia entre os vários segmentos corporais.

 

Indicações

 

  • Alterações posturais (hiperlordoses, escolioses, cifoses, hérnias discais);
  • Algias (situações de dor de carácter neuro-musculo-esquelético);
  • Problemas do foro respiratório (desequilíbrios musculares, promoção de padrão respiratório mais eficaz);
  • Prevenção de lesões (desportivas, profissionais, entre outros);
  • Promoção de gestos desportivos mais adequados (flexibilidade e coordenação motora).
Padrão
Não categorizado

Fisioterapia Respiratória

  • Fisioterapia Respiratória

Fisioterapia Respiratória

 

A Cinesioterapia Respiratória é aplicada em todas as idades sendo de maior eficácia em bebés e crianças, pois estas, devido às particularidades do seu aparelho respiratório, estão mais expostas a infecções respiratórias que podem ter consequências graves para a sua função respiratória.

 

Diversas são as etiologias responsáveis pela a acumulação de secrecções. Nas crianças aplica-se principalmente nas seguintes patologias:

 

  • Bronquiolite
  • Pneumonia
  • Pneumopatia
  • Infecções Respiratórias
  • Rinite Alérgica
  • Asma brônquica

 

A Cinesioterapia Respiratória visa a libertação das secreções que causa a obstrução das vias aéreas centrais e periféricas e a promoção da função respiratória normal de uma forma eficaz.

 

A desobstrução depende fundamentalmente de 5 passos que, por sua vez são interdependentes uns dos outros:

 

Desobstrução nasal

  • Assoar correctamente o nariz
  • Inspiração nasal

 

Fluidificação das secreções

  • Aporte de líquidos
  • Atmosfera húmida
  • Aerosolterapia

 

Mobilização e Progressão

  • Movimento no tórax
  • Aumento do fluxo expiratório

 

Expulsão

  • Tosse
  • Aspiração das secreções

 

O objectivo do Fisioterapeuta é restituir a ventilação à área comprometida.

 

Fisioterapeuta Manuela Cunha

Padrão
Não categorizado

Menos SAL = Melhor condição de vida

Science News

Menos sal, menos Strokes, diz a pesquisa nova

ScienceDaily (11 de agosto de 2011) – Falando antes de uma reunião Alto Nível da ONU sobre a não-transmissíveis, o professor Francesco Cappuccio da Warwick Medical School, afirma que a ingestão de sal na dieta diminuindo tem o potencial de salvar milhões de vidas globalmente, reduzindo substancialmente os níveis de doenças cardíacas e derrames.

Uma nova pesquisa do Professor Cappuccio revelou esta semana na do British Medical Journal (BMJ) mostra que no Reino Unido, uma redução de 3 gramas de sal por dia impediria até 8.000 mortes acidente vascular cerebral e até 12.000 mortes da doença cardíaca coronária por ano no Reino Unido.

Uma redução semelhante nos EUA resultaria em até 120.000 menos casos de doença coronária, até 66.000 acidentes vasculares cerebrais e até 99 mil ataques cardíacos anualmente. Seria também economizar até US $ 24 bilhões anualmente em custos de cuidados de saúde.

A Organização Mundial de Saúde estabeleceu uma meta global para reduzir a ingestão de sal na dieta para menos de 5 g (cerca de uma colher de chá) por pessoa, por em 2025, mas a ingestão de sal em muitos países é atualmente muito maior do que isso. O consumo médio diário no Reino Unido é atualmente pouco menos de 9 g. A questão, porém, não é se reduzir a ingestão de sal, mas como fazê-lo de forma eficaz?

Professor Cappuccio e seus co-autores dizem que a mudança de comportamento pessoal e escolha por si só não é uma opção eficaz e realista quando a maioria do sal é adicionado à comida antes que seja vendida ea adição de sal comercial para alimentos está se tornando uma tendência mundial.

A abordagem em quatro vertentes é necessária, dizem eles, e devem formar a base para uma política global:

  • Comunicação – estabelecer e avaliar campanhas de conscientização pública
  • Reformulação – estabelecer metas progressivas de sal para a reformulação dos produtos alimentares transformados existentes e envolvimento com a indústria de alimentos no estabelecimento de normas para novos alimentos
  • Monitoramento – levantamento do consumo de sal da população, o progresso de reformulação, e eficácia da comunicação
  • Regulamento – envolvimento com a indústria, incluindo a regulamentação, para criar condições de concorrência equitativas para não empresas desvantagem mais esclarecidos e progressistas

Cappuccio disse que: “A enorme responsabilidade dos fabricantes de alimentos, contribuindo para a epidemia de doença cardiovascular deve ser reconhecido.

“Prevenção implementado através de reformulação de alimentos e de intervenção eficaz do mercado voluntário, ou ação obrigatória em toda a indústria é o que precisa acontecer com a sociedade, governos, academia e organizações de saúde todos os que necessitam para desempenhar um papel. No entanto, a negação e procrastinação será onerosa em termos de ambas as doenças evitáveis ​​e de despesas “, alertou.

E-mail ou compartilhar esta história:

| Mais


Fonte história:

A história acima é reproduzida (com adaptações editorial de Ciência diário pessoal) de materiais fornecidos pela Universidade de Warwick , via AlphaGalileo .


Jornal de referência :

  1. . FP Cappuccio, S. Capewell, P. Lincoln, K. McPherson opções políticas para reduzir a ingestão de sal população . BMJ , 2011; 343 (aug11 1): d4995 DOI: 10.1136/bmj.d4995
Necessidade de citar esta história em seu ensaio, o relatório de papel, ou? Use um dos seguintes formatos:

APA

MLA

Universidade de Warwick (2011, 11 de agosto). Menos sal, menos acidentes vasculares cerebrais, diz a pesquisa nova. ScienceDaily . Retirado 12 agosto de 2011, a partir de

Nota: Se nenhum autor é dada, a fonte é citada em seu lugar.

Disclaimer : Este artigo não pretende fornecer aconselhamento médico, diagnóstico ou tratamento. Opiniões aqui expressas não refletem necessariamente os de ScienceDaily ou seus funcionários.

Padrão
Não categorizado

Você tem artrite? eu lhes digo o que vestir

EUA

Você tem artrite? Eu lhes digo o que vestir

Em os EUA, a primeira transmissão de TV dedicado
para aqueles que sofrem da doença chata

 

Deborah Norville
Deborah Norville

MILÃO – Danielle Arline e vídeos de falar com Clinton Kelly, guru de estilo e apresentador de um reality show sobre moda americana. Para eles a escolher a roupa da manhã é um problema real. E desta vez o gosto não é bom um fator. Arline e Danielle tem artrite reumatóide, doença inflamatória auto-imune, uma grave, afetando mais freqüentemente as mulheres, 30 anos de idade. Para esses pacientes também a ações cotidianas, como colocar em calças, abotoar a camisa, fechar um zíper, são extremamente dolorosas devido à inflamação das articulações dos braços ou pernas. A especialista em moda, então, vai ajudar a encontrar um posto mesmo os dias mais difíceis, possivelmente enriquecer um prático abrangente com os acessórios certos. Kelly coluna é transmitido on-line nos Estados Unidos, as pessoas com artrite reumatóide têm um talk show dedicado inteiramente a eles. E ‘ “New Way RA” . O show, único e que acaba de completar a segunda série, foi criado e é liderada por Deborah Norville, 52, repórter da CBS e NBC, vencedor de dois prêmios Emmy. 

FILHA DE UMA “MÃE” A CULPA artrite – A mãe de Débora, Merle, foi descoberto que a artrite reumatóide em 1978 aos 44 anos e morreu dez anos depois, por complicações da doença, que foi então tratado especialmente com cortisona baseado em medicamentos e analgésicos. Hoje, no entanto, foram adicionadas aos medicamentos tradicionais e terapias biológicas . “A artrite foi diagnosticado quando eu tinha dez anos – em várias ocasiões, lembrou a dona de casa – Sua doença mudou completamente a dinâmica dentro da nossa família. Eu e minhas irmãs se tornaram os líderes da casa. Nós tínhamos que cozinhar, limpar e ir às compras de supermercado. Ela nos deu conselhos e instruções, mas não era mais capaz de fazer essas coisas. ” Gestão de fadiga da casa foi adicionado ao ver a dor em seu sofrimento: “Seus joelhos estavam incrivelmente inchados. Ela sofreu muito para andar e muito tempo depois, quando foi forçado a uma cadeira de rodas, foi descoberto que a doença havia se desintegrado a cabeça de um fêmur. ” De acordo com Anmar, a Associação Nacional de Doentes reumática, na Itália as pessoas que sofrem de artrite reumatóide são entre 200 000 e 300 000. Há também formas que se desenvolvem na infância, a partir de 6 meses de idade é chamada artrite idiopática juvenil. A doença é causada por uma resposta imunológica anormal do organismo, que reage destruindo os tecidos das articulações: dedos, punhos, joelhos, cotovelos, e assim por diante. A qualidade de vida dos pacientes depende muito da velocidade com que a doença é diagnosticada.

“Não é o fim mas um novo capítulo da minha vida” – A partir da experiência com sua mãe nasceu em talk shows, que visa “dar conselhos perspectiva, e inspiração” para aqueles que sofrem.Em suma, como o título diz, um novo modo de vida na artrite reumatóide. Na segunda edição do elenco e especialistas convidados, médicos ou não, tem sido enriquecido, e todos foram escolhidos não só de acordo com seu currículo. O guru da moda Kelly, por exemplo, sabe que sua avó deu artrite sofreu. Gail Saltz, uma psiquiatra e especialista fala relação com os pacientes ou seus parceiros sobre as formas de lidar pacificamente relações sexualidade ou amor. Ellen Shmueli, que editou o livro de Fitness, um personal trainer que lutou durante anos com a doença. Rosalind Joffe contrário, é um coach de carreira que durante anos seguintes profissionais com doenças crónicas.Uma das testemunhas que o público mais afetado é o de Matt Iseman, comediante e rosto familiar na televisão americana. Iseman lembrou o início da doença, diagnosticatagli em 2002: “Eu tinha dor, dormir até 10 horas por dia, eu já não era a pessoa que eu era antes eo diagnóstico veio como um alívio, pelo menos eu tinha algo para começar”, disse Iseman em episódio em que ele estrela. “A artrite reumatóide não é o fim, é um novo capítulo da vida”, diz quadrinhos de hoje, por vezes, inspirado pela sua experiência, mesmo em sit-com, que é o protagonista. “Existem várias maneiras de lidar com uma doença crônica. Decidi fazê-lo com a alegria e ironia. ”

Giovanna Maria Fagnani 04 de agosto de 2011 (Última modificação: 05 de agosto de 2011 15:56)

Padrão