Não categorizado

Calculo renal = Pedras nos rins/Sintomas da cólica renal

CÁLCULO RENAL | PEDRA NOS RINS | Sintomas da cólica renal

4 DE JANEIRO DE 2009  DR. PEDRO PINHEIRO  91 COMENTÁRIO(S)
«« Publicidade »»

cálculo renal, também conhecido como litíase renal, ou simplesmente, pedra nos rins, é uma doença muito comum, acometendo 5% da população mundial, com maior frequência no sexo masculino.
Entender como se formam os cálculos é crucial para a prevenção de novos casos.

Mais de 70% das pedras são compostas por sais de cálcio, principalmente oxalato de cálcio e fosfato de cálcio. Ainda existem os cálculos de ácido úrico, estruvita e cistina.

CÁLCULO RENAL - PEDRA NOS RINSComo se formam os cálculos renais?

Imaginem um copo d’água cheio. A água é clara e transparente. Se jogarmos um pouco de sal, este se diluirá, ficará em suspensão e tornará a água um pouco turva. Se continuarmos a jogar sal no copo, a água ficará cada vez menos clara, até o ponto em que o sal começará a precipitar no fundo do copo. Isso acontece quando a quantidade de solvente (água) não é suficiente para dissolver todo o soluto (sal).

Este é o princípio da formação dos cálculos. Quando a quantidade de água na urina não é suficiente para dissolver todos os sais presentes, estes retornam a sua forma sólida e precipitam nas vias urinárias.

Portanto, a formação de cálculos ocorre por falta de solvente (água) , por excesso de soluto (sais), ou mesmo por ambos.

A maioria dos casos tem como origem a pouca ingestão de líquidos. Pessoas com passado de cálculos ou com história familiar forte, devem urinar pelo menos 2L por dia. Como ninguém vai ficar coletando urina para medir o volume, uma dica é acompanhar a cor da urina. Ela tem que ter odor fraco, ser amarelo bem claro, quase transparente. (leia: URINA COM CHEIRO FORTE E MAL CHEIROSA)

Uma urina diluída resolve o problema da maioria das pessoas. Porém, há um grupo de pacientes que mesmo bebendo bastante água, continuam a formar pedras. São as pessoas com alterações na composição urinária.

cálculo renalEsse é o conceito mais importante do texto. Todo mundo com mais de 1 episódio de cálculo renal deve ser investigado para alterações metabólicas que provocam excesso de solutos na urina.

Se você tem história de cálculos de repetição e nunca investigou a causa, está na hora de procurar um nefrologista. Dependendo da sua alteração, existem tratamentos medicamentosos que podem evitar o aparecimento de novos cálculos.

Às vezes, uma simples modificação na dieta pode prevenir o surgimento de novas pedras.

Você já deve estar pensando: se as maioria dos cálculos são formados por cálcio e o excesso deste na urina favorece a formação das pedras, é só eu diminuir minha ingestão de cálcio que resolvo o problema. ERRADO.

O excesso de cálcio na urina ocorre por defeitos tubulares intrínsecos do rim. Se você já está perdendo cálcio na urina e não mantém uma dieta com níveis adequados, o seu organismo para manter níveis sanguíneos controlados vai buscar cálcio nos seus ossos, levando a osteoporose precoce (leia: SINTOMAS E TRATAMENTO DA OSTEOPOROSE). Portanto, não se deve restringir cálcio na dieta de quem tem pedras nos rins.

A litíase renal de repetição é uma das causas de insuficiência renal crônica. Por isso, além dos estudos para investigar a causa, é também necessário um acompanhamento da creatinina sanguínea (leia: O QUE É CREATININA ?).

Sintomas do cálculo renal

O sintoma mais comum é a cólica renal, uma excruciante dor lombar que pode irradiar em direção a virilha. Por vezes, a dor é tão intensa que vem acompanhada de náuseas e vômitos. Ardência ao urinar (leia: DISÚRIA | DOR AO URINAR | Causas) e sangue na urina (leia: HEMATÚRIA ( URINA COM SANGUE )) também são frequentes.

Alguns doentes conseguem notar a eliminação de pequenas pedras ao urinar. Quando isso ocorre pode haver alívio dos sintomas. O cálculo renal quando já na parte mais inferior do trato urinário pode causar dores que irradiam para virilha e grandes lábios ou testículo (leia: DOR NOS TESTÍCULOS | Principais causas).

Uma vez que já exista uma pedra nas vias urinárias, esta deve ser seguida de perto, principalmente as maiores de 0,5 cm, que apresentam mais dificuldade em serem expelidas espontaneamente.

Cálculo renal
Hidronefrose no rim esquerdo

Na maioria dos casos o tratamento é expectante. Prescrevemos analgésicos e aguardamos a pedra sair. Porém, cálculos grandes podem ficar impactados no ureter e provocar uma obstrução à drenagem, causando acumulo de urina e consequente dilatação do rim, a qual chamamos de hidronefrose (clique na imagem ao lado para ampliá-la).

As hidronefroses graves devem ser corrigidas o quanto antes, pois muito tempo de obstrução leva a lesões irreversíveis deste rim.

O tratamento dos cálculos varia desde simples analgésicos e fluidos para tentar eliminar o cálculo espontaneamente, até a necessidade de procedimentos cirúrgicos quando há sinais de infecção, hidronefrose, dor intratável ou cálculos muito grandes.

Quando se opta por uma intervenção as opções são:

- Litotripsia extra-corpórea (LECO)
- Litotripsia percutânea
- Ureteroscopia
- Cirurgia aberta

Cálculo coraliforme: um caso a parte

Cálculo coraliformecálculo coraliforme tem esse nome porque apresenta a aparência de um coral. São os maiores cálculos e estão geralmente associados à infecção urinária por uma bactéria chamada Proteus. Esta bactéria aumenta o pH da urina e favorece a precipitação de sais, principalmente um, chamado de estruvita, composto por fosfato, amônia e magnésio

Imagine um rim cortado ao meio como uma laranja. O aspecto normal é o da imagem abaixo. A pelve renal é onde toda urina produzida é drenada para alcançar o ureter.

Sistema urinário

O cálculo coraliforme se forma na pelve renal e assume sua forma, por isso o formato peculiar.

Cálculo coraliforme

O cálculo renal é tão grande que é facilmente visualizado em uma simples radiografia de abdômen.

Cálculo coraliforme

Pelo seu tamanho e forma, o cálculo coraliforme não consegue sair na urina e um procedimento médico é necessário para sua retirada.

Se não tratado a tempo, leva a infecções urinárias de repetição e cicatrizes nos rins, podendo causar insuficiência renal terminal.

Para saber mais sobre o tratamento do cálculo renal e sobre a utilização do duplo J, leia: CÁLCULO RENAL | Tratamento e duplo J

E o suplemento NQI dissolve cálculos renais?

Recebi inúmeras indagações sobre a utilidade do NQI para cálculos renais. Existe claramente uma campanha na internet através de sites e fóruns promovendo este produto para eliminação dos cálculos renais (obs: segundo e-mail enviado por um advogado que se diz fazer parte do escritório que representa juridicamente o fabricante Gauer do Brasil Nutrition Center, a empresa nega envolvimento com estes sites).

Procurei informações científicas sobre o produto no site oficial do fabricante e nos sites feitos para divulgação do produto, porém, não tive sucesso. O site oficial não fornece nenhuma informação médica útil. Afirma que o produto é feito a base de fósforo, porém não diz qual tipo de fósforo, sua quantidade, quais outros elementos presentes na fórmula etc… informações essenciais para que nós médicos possamos emitir opinião sobre a utilidade do produto em relação ao tratamento de doenças.

O site do fabricante o classifica apenas como suplemento alimentar,  não diz nada sobre seu uso como medicamento e não o indica para tratar doenças. A aprovação do produto pela ANVISA é apenas como suplemento alimentar, não sendo indicado para o tratamento de doenças. O NQI não é classificado como remédio, portanto, não pode ser divulgado como tratamento para nada.

A empresa fabricante Gauer do Brasil Nutrition Center, respondeu ao blog da seguinte maneira:
“(…) temos a esclarecer que os senhores estão corretos em afirmar que o site oficial não fornece nenhuma informação médica útil, pois afinal o produto não se trata de um medicamento e sim de um suplemento nutricional.(…)”

“(…) Legalmente, a empresa fabricante do suplemento é obrigada a fornecer a composição exata dos fosfatos utilizados apenas para a ANVISA. A empresa está dispensada de especificar em seu rótulo os fosfatos utilizados, devido ao produto tratar-se de um suplemento alimentar e não de um medicamento. Justamente por tratar-se de um suplemento é que a empresa optou por não divulgar a composição exata dos fosfatos específicos utilizados em sua composição e suas quantidades, pois o produto poderia ser facilmente manipulado em farmácias e os resultados financeiros resultantes de quase 20 anos de pesquisa antes da produção inicial certamente estariam comprometidos (…)”

Vários sites e comentários em fóruns que divulgam o NQI afirmam que o mesmo tem efeitos benéficos, às vezes milagrosos, para diversas doenças completamente diferentes como artrite, artrose, gota, osteoporose, arteriosclerose, cálculo renal, intoxicação por metais pesados, câncer etc.. Além disso, as explicações dadas para o mecanismo com que o NQI age nestas doenças não fazem nenhum sentido.

Os poucos dados científicos que se consegue na internet em sites paralelos feitos para divulgação do produto, que a empresa fabricante Gauer do Brasil Nutrition Center afirma não ter relações, reforçam a suspeita de que a indicação do NQI para tais doenças é equivocada, não apresentando nenhum embasamento na comunidade científica brasileira ou internacional.

A empresa Gauer do Brasil Nutrition Center, em e-mail ao blog MD.Saúde, afirma estar auditando a origem de tais sites que divulgam o NQI de forma equivocada.

A empresa ainda afirma: “Gostaríamos de reforçar que a Gauer do Brasil Nutrition Center é fabricante de suplementos nutricionais voltados para o aumento da qualidade de vida e que indiretamente, assim como os alimentos que consumimos, estes suplementos podem atuar como coadjuvantes no tratamento de doenças, mas não se tratam de medicamentos. A Gauer do Brasil Nutrition Center não é um laboratório farmacêutico e não produz medicamentos alopáticos ou fitoterápicos para o tratamento de doenças.

Conforme já explicitamos no e-mail anterior, o fabricante é enfático em apresentar o produto NQI como um suplemento nutricional. A Gauer do Brasil Nutrition Center não concorda com a abordagem de alguns sites que sugerem o uso do NQI para tratamento de doenças. Reafirmamos que nosso cliente não tem e nunca teve a intenção de vincular a imagem do produto NQI ao tratamento de cálculos renais, até porque segundo a própria empresa, isso poderia restringir a venda do produto. Atualmente o maior volume de vendas do suplemento se refere a consumidores em busca de mais qualidade de vida e a prevenção de problemas futuros.(…)

A verdade é que não existem trabalhos científicos que comprovem sua utilidade para o tratamento dos cálculos renais ou qualquer outra das doenças descritas. Existem dúvidas se o fósforo é benéfico ou maléfico para quem tem cálculo renal, mas com certeza ele não dissolve o cálculo já formado. E ainda é bom lembrar que existem cálculos formados a base de fosfato.

É também importante salientar que o fato do produto ser rico em fósforo o torna contra-indicado em pessoas com insuficiência renal (leia: INSUFICIÊNCIA RENAL – FÓSFORO, PTH E DOENÇA ÓSSEA…), doença que é comum estar presente em quem tem cálculo renal de repetição. Na osteoporose o excesso de fósforo pode acelerar a doença. O fato de um produto ser classificado como um suplemento alimentar não o exime de ter efeitos colaterais e de poder ser contra-indicado em determinadas circunstâncias.

A posição dos médicos nefrologistas autores do blog MD.Saúde é a mesma da comunidade médica internacional, ou seja, nós não indicamos o uso de NQI para o tratamento do cálculo renal e o contra-indicamos, assim como qualquer outro suplemento de fósforo, para pacientes com insuficiência renal. Do mesmo modo, não indicamos o uso de qualquer suplemento ou medicamento sem avaliação médica prévia. 

Dr. Pedro PinheiroAutor do artigo

Dr. Pedro Pinheiro – Médico formado pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) em 2002. Diploma reconhecido pela Universidade do Porto, Portugal. Título de especialista em Medicina Interna pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ) em 2005. Título de Nefrologista pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ) e pela Sociedade Brasileira de Nefrologia (SBN) em 2007. Título de Nefrologista pelo Colégio Português de Nefrologia.

Leia o texto original no site MD.Saúde: CÁLCULO RENAL | PEDRA NOS RINS | Sintomas da cólica renal http://www.mdsaude.com/2009/01/calculo-renal-pedra-nos-rins.html#ixzz1gFCGlgJe

About these ads
Padrão

2 comentários sobre “Calculo renal = Pedras nos rins/Sintomas da cólica renal

  1. Adriano disse:

    Quando sentimos dor há algum tempo, todos os dias, procuramos soluções milagrosas como o NQI. Confesso que ainda sinto vontade de pagar pra ver, mas, conforme está muito bem descrito no texto, não há comprovação científica de que o suplemento funcione. Obrigado pelos esclarecimentos!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s