Não categorizado

Pedra na vesícula/ colecistite

PEDRA NA VESÍCULA | COLECISTITE | Sintomas e tratamento

Saiba as causas e sintomas da pedra na vesícula (colelitíase) e entenda o que é a colecistite (inflamação da vesícula biliar)

Bom, antes de falar sobre pedra na vesícula e colecistite, vamos as explicações básicas sobre o sistema biliar.

Não confundam colelitíase, que é o nome científico da pedra ou cálculo na vesícula, com colecistite, que é a inflamação da vesícula.


O que é a bile ? Aonde ela é produzida? Para que serve a vesícula ?

A bile é um líquido amarelo-esverdeado rico em colesterol, pigmentos e bicarbonato, produzido pelo fígado. Sua principal função é auxiliar na digestão das gorduras da alimentação.

Veja a ilustração abaixo e siga o texto (clique na foto se quiser ampliá-la).

Vias biliaresApós a sua produção, a bile é escoada pelos ductos hepáticos até o ducto biliar. A bile no ducto biliar comum se junta com as substâncias produzidas no pâncreas (suco pancreático) e são despejadas no duodeno, a primeira parte do intestino delgado, logo na saída do estômago.

Como a bile e suco pancreático são utilizados na digestão dos alimentos, não há necessidade de liberar estes dois para o duodeno quando não há comida. Por isso, enquanto estamos de estômago vazio, a saída da via biliar fica fechada pelo esfíncter de Oddi e toda a bile produzida é armazenada na vesícula biliar.

Quando comemos, a vesícula começa a se contrair e libera a bile para digerir os alimentos que estão chegando no duodeno.

Vias biliaresA vesícula biliar portanto, é um mero armazenador da bile produzida pelo fígado. Sua capacidade é de mais ou menos 50 ml. Para que consiga armazenar uma quantidade maior, a bile na vesícula começa a perder água e vai ficando cada vez mais concentrada e potente. Quando finalmente liberada para o duodeno, a bile da vesícula é muito mais espessa e forte do que a que foi originalmente produzida no fígado.

Como é que surge, então, a pedra na vesícula (colelitíase)?

A pedras surgem quando a ocorre um desequilíbrio entre a quantidade de água e das substâncias presentes na bile, favorecendo a solidificação da mesma. Pode ocorrer por falta de água ou excesso de alguns dos componentes, particularmente colesterol e pigmentos.

Os principais fatores de risco são:

  • Idade: incomum em pessoas jovens, o risco de se desenvolver colelitíase (cálculo na vesícula) é 4x maior a partir dos 40 anos de idade.
  • Sexo: A pedra na vesícula é 3x mais comuns em mulheres do que em homens. A partir dos 60 anos essa diferença cai bastante, pela também queda dos níveis de estrogênio.
  • Gravidez: pelo excesso de estrogênio durante a gestação
  • Reposição hormonal: também pelo estrogênio
  • Obesidade : é o principal fator em jovens, principalmente do sexo feminino
  • História familiar positiva: parentes de 1º grau com história de pedras na vesícula aumenta em 2x o risco.
  • Rápida perda de peso: grandes perdas de peso em pouco tempo ou dietas com muito baixa caloria também são fatores de risco
  • Diabetes
  • Cirrose (leia: CIRROSE HEPÁTICA – Causas e Sintomas)
  • Jejum prolongado: quanto maior o tempo da bile na vesícula, mais desidratada ela fica e maior o risco de formação de pedras
  • Drogas: Ceftriaxona, anticoncepcionais, fibratos
  • Sedentarismo
  • Doença de Crohn (leia: ENTENDA A DOENÇA DE CROHN E A RETOCOLITE ULCERATIVA)
  • Anemia falciforme

E quais os sintomas da pedra na vesícula?

Na verdade, a maioria das pessoas com cálculo não apresentam sintoma nenhum. As pedrinhas ficam lá dentro da vesícula quietinhas sem causar nenhum problema. Às vezes são tão pequenas que saem junto da bile e acabam nas fezes.

Os problemas começam quando a pedra é maior que a saída da vesícula ou do que os ductos biliares. Imaginem uma pedra que ficou presa bem na saída da vesícula biliar, impedindo a drenagem da bile. O paciente come, o alimento chega a estômago e depois ao duodeno enviando sinais a vesícula para que ela se contraia e traga a bile para a digestão. A se contrair com sua saída obstruída pela pedra, a pressão dentro da mesma aumenta muito e causa uma intensa dor.

Esta é a cólica biliar, uma intensa dor no lado direito do abdome, abaixo das costelas, que ocorre após uma alimentação. Quanto mais rico em gordura for o alimento, maior o estímulo para contração da vesícula, e consequentemente, maior a cólica. A dor em geral ocorre 1 hora após a refeição, momento em que o alimento começa a chegar ao duodeno. Depois que o alimento todo passa, a vesícula relaxa e a dor desaparece.

Em alguns casos a vesícula apresenta múltiplos cálculos como na foto que abre o texto. Quanto maior o número de pedras, maior a chance de ocorrerem sintomas

O que é a colecistite?

A colecistite é a inflamação da vesícula biliar e está normalmente associada a obstrução da mesma por uma pedra. A colecistite pode ter origem em um infecção ou apenas em alguma fator irritativo que causa uma inflamação em um vesícula obstruída. (leia:O que é o pus ? O que é um abscesso? O que é uma inflamação?)

Ao contrário da cólica biliar onde a dor é limitada e desaparece após o relaxamento da vesícula fora dos períodos de alimentação, a colecistite é uma dor constante e mais forte. Normalmente associada a vômitos e febre. Na colecistite a dor também piora com a alimentação.

A colecistite normalmente está associada a obstrução da vesícula, mas em 10% dos casos ela pode ocorrer em pacientes sem história de pedra na vesícula.

E quando a pedra fica presa nas vias biliares?

Quando a pedra é menor que a saída da vesícula, mas maior que o diâmetro dos ductos biliares, ela fica impactada em algum ponto, impedindo a drenagem da bile por completo. Neste caso, a bile não é excretada e seus pigmentos são absorvidos para o sangue, levando ao quadro de icterícia, que é a coloração amarelada da pele e dos olhos devido ao acumulo de bilirrubina no sangue e na pele. A icterícia também ocorre em outras doenças do fígado como hepatite e cirrose

Icterícia

«- Icterícia. Reparem na cor dos olhos e comparem a pele do doente com a mão do examinador.

Um quadro ainda mais grave surge quando a bile obstruída é contaminada por alguma bactéria vinda dos intestinos. Neste caso temos a colangite que é uma infecção das vias biliares, um quadro que leva a sepse e tem alta mortalidade. (leia: O QUE É SEPSE / SEPSIS E CHOQUE SÉPTICO ?)

pedra na vesícula - colecistiteSe a impactação for bem distal, próximo ao esfincter de Oddi, não só a bile, mas também o suco pancreático ficam obstruídos (reveja a imagem anterior), podendo levar a pancreatite aguda (leia: PANCREATITE CRÔNICA E PANCREATITE AGUDA).

Tratamento

O exame de escolha para o diagnóstico é a ultra-sonografia. A partir do diagnóstico de pedra na vesícula, existem 3 opções de tratamento.

Nos pacientes assintomáticos que encontram uma pedra acidentalmente em exames de rotina, em geral a conduta é expectante. Trabalhos mostram que menos de 15% das pessoas com pedras assintomáticas desenvolvem sintomas em um prazo de 10 anos. E as que desenvolvem, o fazem como cólica biliar, e não colecistite ou outras das complicações descritas anteriormente.

Portanto, a não ser que haja outros dados na história clínica, não se leva a cirurgia pacientes com colelitíase assintomática.

Os pacientes que apresentam cólica biliar, colecistite ou algumas das complicações devem abordados para a eliminação dos cálculos. O mais comum é a colecistectomia (retirada cirúrgica da vesícula).

Nos casos de colangite, cálculos nas vias biliares ou pancreatite, o procedimento é cirúrgico com desobstrução da via biliares. Retira-se também a vesícula no mesmo ato cirúrgico para evitar recorrências.

Nos pacientes com pedras predominantemente de colesterol e sem evidências de complicações, há a opção pelo tratamento com drogas. Existe uma substância chamada de ácido ursodeoxicólico que dissolve este tipo de cálculo. Através da tomografia computadorizada muitas vezes é possível avaliar a composição das pedras e indicar o tratamento com remédios.

Existe ainda a opção pela tratamento com ondas de choque, semelhante ao feito com o cálculo renal.

Leia mais: http://www.mdsaude.com/2009/05/pedra-na-vesicula-e-colecistite.html#ixzz1H3QBfuMx

 

About these ads
Padrão

16 comentários sobre “Pedra na vesícula/ colecistite

  1. Allan disse:

    Bom dia,

    Muito esclarecedora sua matéria sobre pedra na vesícula, parabéns.
    Gostaria de saber qual a melhor alimentação para quem tem pedra na vesícula. Por favor dê nome aos alimentos, por exemplo, frutas (maça, mamão, …), carnes (somente de frango e peixe) etc
    Tenho duas pedras de 1,5 cm, mas nunca tive náuseas e nem febre. Além disso, a dor é somente na parte superior do abdomen.
    O médico nem olha para o paciente e somente tocou abaixo de minhas costelas e não senti dor nenhuma, foi logo receitando e marcando cirurgia.

    • Caro Allan
      A melhor forma de diagnosticar pedras na visicula são por RX ou ultrassom, ai o diagnostico correto.
      Quanto a alimentação o ideal é evitar comidas gordurosas, de preferencia carnes magras e grelhadas
      as frutas ideais são, maçã, pera (evitar as frutas acidas). Alimentos com fibras poderão ajudar.
      Se houver diagnostico correto a cirurgia poderá ajudar, procure ouvir uma segunda opinião médica,
      nunca se automedique.
      Cordialmente
      José Marcos

  2. Gilmar disse:

    Bom dia doutor muito bem explicado fio agradecido.
    Mas se possível poderia me esclarecer algumas duvidas.
    1 Posso engordar mais com a cirurgia.
    2 Posso retirar somente as pedras para que meu organismo não perca essa função

  3. Gilmar disse:

    Bom dia doutor muito bem explicado fico agradecido.
    Mas se possível poderia me esclarecer algumas duvidas.
    1 Posso engordar mais após a cirurgia.
    2 Posso retirar somente as pedras para que meu organismo não perca essa função

    • Caro Gilmar
      agradeço por ter acessado o Blog, vou encaminhar suas perguntas para um médico amigo, pois cabe explicar
      que eu não sou médico e sim uma pessoa bastante interessada em explicar a outras algumas duvidas sobre
      saúde. Tenho alguns médicos que me dão acessória e a maioria das perguntas não ficarão sem respostas.
      Cordialmente
      José Marcos

    • Caro Gabriel
      Na maioria das vezes sim, em alguns casos isso acontece por alteração nas enzimas digestivas, conforme você poderá ler no
      artigo ” pedra na vesícula”.
      Obrigado por acessar o Blog
      Cordialmente
      José Marcos

  4. claudia ferreira disse:

    eu tenho pedra na visicula e vou muitas vezes para o hospital dao me medicaçao nas veias tiro sangue para analises e mandam me embora dizeram me para la ir sempre k tiver a dor porque nao operam logo ja estou a dieta mas mesmo assim a dor continua ,sinto me muito fraca,claudia ferreira

    • Cara Claudia
      É de suma importância uma conversa franca com o seu médico, na maioria das vezes quando vamos a consulta
      nos falta dialogo, procure esclarecer com ele todas a suas duvidas, fica difícil dizer algo a respeito da sua pergunta
      por que cada paciente é diferente um do outro.
      Cordialmente
      José Marcos

    • Presada Marise
      Procurei me informar sobre o assunto e o que consegui foi o seguinte; que o paciente apos a retirada
      da vesícula apenas tem alguma restrição quanto a seu costume alimentar e que o problema de engordar
      ou não não tem nada a ver, pois a pessoa mesmo sem a retirada da vesícula pode ou não engordar.
      Cordialmente
      José Marcos

  5. lenita maria n de jesus disse:

    apesar de ainda não ter calculo na visicula, fui diagnosticada com problemas na visicula tendo q operar.no entanto nao tem pedras em seu interior. porem estou tendo muitas dificuldades em me alimentar,apesar de comer so comidas leves.sinto um desconforto enorme;como se tivese empanzinada eh horrivel

  6. aline siqueira de souza disse:

    Boa tarde!
    tenho apenas 19 anos, mas todos esses sintomas eu sinto…antes achava que era estomago, fiz endoscopia e não constou nada! De 10 dias pra cá, as dores tem aumentado achei que fossem apenas cólicas, mas piorou de uma tal maneira que não consigo me mexer, minhas costas doem muito e sinto muita vontade de vomitar, dores muito fortes do lado direito, não consigo nem apalpar, ás vezes parece que tem algo se mexendo, se deslocando, e fico com a barriga como se estivesse comido muito , posição nenhuma é confortavel. Já houveram dias seguidos sem que ador e a sensação de “cheia” passassem, e remédio nenhum pra dor adianta.
    Minha mãe ja teve pedra na vesícula, é possivel que eu tbm tenha pelo fato de na minha familia ja ter tido antes?

    • Cara Aline
      O melhor a fazer no seu caso é procurar o seu médico, já que sua mãe teve o problema, é bem possível que o fator
      hereditariedade possa acontecer, nunca é muito bom sentir dor por um longo tempo, procure o médico.
      Cordialmente
      José Marcos

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s